XIX Encontro Nacional do CB27

09 de Dezembro de 2020
Virtual

O XIX Encontro Nacional do Fórum CB27 foi realizado no dia 9 de dezembro de 2020 e fez um balanço das conquistas obtidas pelos governos locais no âmbito dos acordos globais sobre sustentabilidade, reforçando a importância da continuidade da articulação entre as secretarias de meio ambiente das capitais brasileiras, levando-se em conta o contexto de transição política vivenciado por algumas Prefeituras. 

O evento também destacou a evolução do Projeto Bandeira Verde, que promove a restauração e conservação da flora brasileira através do intercâmbio de sementes de espécies ameaçadas com outros jardins botânicos do Brasil. Atualmente, 13 capitais estão comprometidas com a iniciativa (Rio de Janeiro, Goiânia, Curitiba, Rio Branco, Belo Horizonte, Recife, Palmas, Fortaleza, Natal, Salvador, São Paulo, João Pessoa e Porto Velho). Até o final de 2020 foram realizadas trocas de 7.400 sementes entre três capitais - Rio de Janeiro, Recife e João Pessoa.

Representando a coordenação nacional do Fórum CB27, José Miguel Pacheco, gerente de Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável da Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro (RJ), afirmou que o Bandeira Verde nasceu com o objetivo de intensificar a troca de experiências entre as legislações municipais, pois o CB27 cria a possibilidade das cidades trabalharem em conjunto.

Superintendente de Controle Ambiental na Secretaria de Meio Ambiente de Curitiba (PR), Ibson Campos acredita que o projeto veio em boa hora. “Todas as capitais serão beneficiadas pelo Bandeira Verde.”

Rodrigo Ravena, chefe de gabinete da Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo (SP), comentou a adesão da capital paulista à iniciativa: “É importante para voltarmos a olhar para biodiversidade e sustentabilidade, criando cidades seguras e resilientes às mudanças do clima.”

Durante o Encontro Nacional, também foi apresentado o Caderno de Transição, documento elaborado com a intenção de auxiliar a transição entre gestões municipais nas pastas de meio ambiente, buscando garantir a continuidade do trabalho realizado em parceria entre governos locais. O documento traça um histórico institucional do CB27, trazendo os principais marcos e eventos do Fórum, o perfil de cada capital que o compõe e cartas da coordenação nacional e dos parceiros.

De acordo com Bernardo Egas, secretário de Meio Ambiente do Rio de Janeiro e coordenador nacional do CB27, o caderno será utilizado para orientar os novos secretários que estão chegando. “Os secretários que continuarão em seus cargos em 2021 têm um papel fundamental na transição. A renovação é importante, as pessoas que chegam se apaixonam pelo CB27, como eu. Contamos com o apoio dos mais experientes”, declarou.

Para Abelardo Jurema Neto, secretário do Meio Ambiente de João Pessoa (PB), o CB27 proporciona diferentes olhares para aspectos fundamentais da defesa do meio ambiente. “Vou levar os aprendizados para sempre na minha vida. Esses encontros mudaram visões e conceitos sobre sustentabilidade.”

Alan Lemos, secretário do Meio Ambiente de Aracaju (SE), o Fórum é um espaço muito promissor para os novos secretários que chegarão. “A perspectiva é muito positiva para o futuro, com um patamar de trocas e intercâmbios cada vez mais elevado.”

O Encontro Nacional também foi palco de uma reflexão sobre os próximos passos do Fórum CB27. Um olhar para o cenário pós-pandemia, voltado para resiliência e recuperação verde, foi destaque entre os debates, assim como estratégias de internacionalização do CB27 e a apresentação do Novo Acordo pela Natureza e para as Pessoas (ND4NP), agenda ambiental internacional que marca a rota dos governos locais para a COP15 de Biodiversidade. 

“Precisamos internalizar os aprendizados e olhar para o futuro”, indica Ana Carolina Abreu, coordenadora de projetos da Fundação Konrad Adenauer. “Temos questões urgentes a serem resolvidas, e as cidades estão na linha de frente do enfrentamento aos desafios impostos ao clima e também à democracia.”

Para Rodrigo Perpétuo, secretário executivo do ICLEI América do Sul, 2020 foi um ano extremamente difícil e desafiador, mas caminha para um encerramento com uma sensação de superação coletiva. “Tivemos resultados muito além do que poderíamos pensar quando o cenário da pandemia se iniciou”, observa. “Destacamos a internacionalização do CB27 na modalidade virtual. As atividades internacionais nos apontam caminhos, e trabalharemos para que elas sejam mais constantes.”

Fazer com que o Fórum tenha ainda mais impacto nos territórios, dando suporte à plataforma de incidência dos secretários das capitais brasileiras, deve constar também entre os objetivos para o próximo ciclo, de acordo com Rodrigo Corradi, gerente de Relações Institucionais e Advocacy do ICLEI América do Sul. 

“Mesmo em um ano com adversidades, o CB27 avançou em diversos pontos, tendo como base a ideia de que a articulação coletiva é prioritária para melhorarmos o mundo”, afirma Corradi. “O Bandeira Verde demonstra claramente que a troca de experiências é uma fortaleza contínua desse Fórum”, encerra.

Novidades

<!--:pt-BR-->Notícias<!--:--><!--:en-->Notícias<!--:--><!--:de-->Nachrichten<!--:-->

CB27 lança Caderno de Transição

O Caderno de Transição consolida informações e apoia, de maneira efetiva, as equipes técnicas e os Secretários e Secretárias de Meio Ambiente das capitais brasileiras na transição entre gestões mun...